Governo tem deficit de R$ 234,3 bilhões nas contas, diz Ipea

Levantamento com dados preliminares mostra que, sem o pagamento de precatórios, o rombo será de R$ 141,2 bilhões

O governo central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central– registrou deficit primário de R$ 234,3 bilhões em 2023, segundo dados preliminares divulgados pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Ao excluir o pagamento de precatórios, o rombo seria de R$ 141,2 bilhões. Eis a íntegra do relatório (PDF – 911 kB).

O resultado primário é formado pelo saldo entre receitas e despesas, excluindo o pagamento dos juros da dívida. O dado oficial é divulgado mensalmente pelo Tesouro Nacional. O relatório do acumulado de 2023 será publicado até o fim de janeiro.

O Ipea utilizou informações da execução orçamentária registradas no Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira) do governo federal. Segundo o instituto, os dados fornecem “boa aproximação com os dados oficiais relativos ao resultado primário que será divulgado posteriormente pela Secretaria do Tesouro Nacional”.

A despesa total do governo subiu 12,9% em termos reais (corrigidos pela inflação) em comparação com 2022, segundo o Ipea. Somou R$ 1,928 trilhão. O valor foi impactado pelo pagamento de precatórios –dívidas da União que não podem mais ser contestadas na Justiça–, no valor de R$ 93,1 bilhões. O governo teve crédito extraordinário para executar o pagamento. Sem esse pagamento, o deficit foi de R$ 141,2 bilhões.

A LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) estabeleceu uma meta de deficit primário de até R$ 231,5 bilhões em 2023. O crédito extraordinário permite que haja descumprimento da regra.

O pagamento de benefícios previdenciários aumentou 4,6% em 2023, de R$ 846,9 bilhões para R$ 885,7 bilhões. Já as despesas com pessoal e encargos sociais caíram 0,7%, de R$ 359 bilhões para R$ 356 bilhões.

A receita líquida do governo totalizou R$ 2,388 trilhões, com queda de 2,9% em relação a 2022 (R$ 2,461 trilhões). Houve uma queda de R$ 86,8 bilhões na arrecadação não administrada pela Receita Federal.

SUPERAVIT EM 2022

O governo central havia registrado superavit –saldo positivo nas contas– de R$ 59,74 bilhões em 2022. Ou seja, se o deficit de R$ 234,3 bilhões se materializar, as contas terão um resultado pior em R$ 294 bilhões. Se desconsiderar os precatórios, a piora será de R$ 201 bilhões.

DEZEMBRO

Em dezembro, o deficit primário foi de R$ 119,4 bilhões, potencializado pelo pagamento dos precatórios. Havia registrado superavit de R$ 4,7 bilhões no mesmo mês de 2022.


source
Fonte – Poder360

Compartilhar:

WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *